quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Cães agem de acordo com a linguagem corporal dos donos

Uma equipa de investigadores da Universidade da Flórida em Gainsville, do qual faz parte a professora de Psicologia Monique Udell, tem-se dedicado nos últimos anos a tentar perceber a relação entre os cães em geral e os seus donos, não só do ponto de vista da socialização dos animais e dos humanos, mas também no que diz respeito ao que de bom os cães trazem à vida dos donos e de como os cães percebem a linguagem, não só oral, mas também corporal dos donos.


Alguns dos resultados vão de encontro a outros já conhecidos, como a capacidade dos cães em aumentar a auto-estima dos seus donos, diminuem a sua ansiedade e mesmo a agressividade no dia-a-dia. Por outro lado, este estudo realça a grande capacidade de domesticação dos cães, mesmo quando são acolhidos após terem vivido nas ruas, a sua adaptabilidade a qualquer tipo de circunstancias e a grande capacidade de resolverem problemas que lhes são colocados, parecendo perceber quem necessita da sua ajuda, como por exemplo crianças, ou pessoas com algum tipo de fragilidade.

O que o estudo aponta é uma capacidade inata dos cães em perceber um conjunto de estímulos, ou a sua ausência, na linguagem corporal dos humanos, o que lhes permite por experiências anteriores conhecer o estado físico e psicológico do dono, ou da pessoa que está na sua presença, e agir de acordo com esse conhecimento adquirido, daí muitos donos dizerem que ao seu cão só falta falar, ou mesmo que o seu cão parece ler a sua mente. Esse conhecimento ajuda, por outro lado, os cães a agir quando recebem uma ordem verbal, tornando a relação entre cães e humanos muito fácil.

Pela primeira vez, um estudo deste tipo incluiu mais do que apenas os animais de companhia, e foram também observados cães pastores e lobos. Aparentemente, esta capacidade é inata a todos os três grupos estudados, embora os animais domésticos tenham demonstrado uma maior capacidade de entender os estímulos dos humanos, o que não será de estranhar já que acumularam uma experiência maior, no contacto com os seus donos.

O estudo demonstrou que, de facto, pela sua experiencia, os cães ficam tanto em sintonia com os seus donos que quase se podía dizer que lêem a sua mente. Em alguns casos, foram mesmo detectadas melhorias em pessoas com problemas nervosos, já que desde que adoptaram um cão diminuiram a quantidade de medicamentos diária, uma vez que os cães percebem as dificuldades dos donos e parecem agir no sentido de minorar a sua ansiedade. Essa capacidade de interagir com os donos vai aumentando sempre ao longo do tempo, pelo que quanto mais tempo passa, mais a relação se estreita, e melhor o animal percebe os estímulos que vai recebendo, reagindo a estes mais rapidamente.


http://animais.clix.pt/noticias3g.php?id=1728

Sem comentários: